Luísa Jacinto vive e trabalha em Lisboa. A sua prática artística lida com os protocolos da imagem, a fragmentação e simulação narrativas, o excesso de evidência e o obscurecimento.


No seu percurso, são de especial relevo as exposição individuais Véu-Pedra, Artworks, Lisboa, Portugal, 2019; We had the experience but missed the meaning, galería silvestre, Madrid, Espanha, curadoria de Sérgio Fazenda Rodrigues, 2018; Basta um só dia, curadoria de João Miguel Fernandes Jorge, Museu Carlos Machado, Açores, Portugal, 2012. Das suas exposições colectivas, destacam-se PADA na ASC Gallery, Londres, Reino Unido, 2019; WAIT, curadoria de Orlando Franco, Museu Coleção Berardo, Lisboa, Portugal, 2019;  Saudade - Unmemorable Place in Time, comissariada por Yuko Hasegawa, Fosun Foundation, Xangai, China e Museu Coleção Berardo, Lisboa, Portugal, 2018; Pontos Colaterais, Coleção de Arte Arquipélago, uma seleção, comisssariada por João Silvério, Arquipélago, S. Miguel, Portugal, 2015.


CV