Aquisições. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa


As Galerias Municipais inauguram no próximo dia 23 de maio, às 17h30, no Torreão Nascente da Cordoaria, a exposição Aquisições. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa.

Paralelamente à realização da ARCOlisboa 2024, a exposição “AQUISIÇÕES. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa”, que se realiza no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional / Galerias Municipais, mostra as aquisições de obras de arte realizadas pela Câmara Municipal Lisboa para a sua coleção, em 2023, pela comissão constituída por Ana Anacleto, Luísa Santos, Nuno Crespo, Joana Sousa Monteiro (Museu de Lisboa) e Sara Antónia Matos (Atelier-Museu Júlio Pomar) e duas obras adquiridas em anos anteriores mas que, por motivos técnicos, só agora foi possível instalar e apresentar – as obras de Gustavo Sumpta e de Mariana Caló e Francisco Queimadela.

Shining Indifference


Exposição individual na Sala do Cinzeiro 8, curadoria de João Pinharanda

Maat, Lisboa, Portugal

Inauguração 26 Março 2024

abril vermelho

Novos trabalhos na ARCO Lisboa 2023

Skin, 2023

linha, borracha, tinta spray, madeira e resina

90 × 90 cm


A Galeria Quadrado Azul apresentou vários novos trabalhos de Luísa Jacinto na ARCO Lisboa 2023

Skin, 2023, foi adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa

Desenhos concretos para futuros incertos


from the series Flora, 2011


Coleção Arquipélago – Uma trilogia de exposições
jun. 2023 – set. 2023
Curadoria de João Mourão


“Imaginar Futuros”, inaugurada a 10 de junho, foi desenhada e é pensada para o público mais novo, para as crianças e adolescentes que têm no futuro esse campo de possibilidades, de desafios constantes e potencialidades na forma como se pensa e produz o porvir. Esta exposição tem uma componente forte de interatividade, desde logo ao propor desafios, jogos e modos de observar cada uma das obras. 
Assenta na curiosidade que caracteriza os mais novos, mas lança o convite a todo o público para olhar a obra de arte sob uma nova perspetiva, com recurso a meios lúdicos e instrumentais para desafiar o conhecimento atual, fazer sonhar e explorar a exposição de forma ativa.  


Arquipélago Centro de Artes


Rua Adolfo Coutinho de Medeiros s/n
9600 - 516 Ribeira Grande
São Miguel - Açores
Contacto 
+351 296 470 130
acacinfo@azores.gov.pt


Wireless no Córtex Frontal

Exposição colectiva no Córtex Frontal, Arraiolos, Portugal

Inauguração a 28 de Abril 2023


Eco, 2023, acrílico, óleo, pastel de óleo e linha sobre algodão, 180 × 130 cm

WIRELESS é um ciclo de residências artísticas temáticas, idealizado pelo Córtex Frontal - Residências e Oficinas, dirigido a artistas plásticos interessados em aprender ou aprofundar conhecimentos em técnicas têxteis como: Bordado, Tecelagem, Estamparia e Tinturaria. WIRELESS quer estimular artistas visuais a aprender e incorporar a “linguagem têxtil” na sua prática artística, entendendo-a de forma ampliada sem necessariamente contemplar o uso de fios, daí o nome wireless. A WIRELESS tem lugar em Arraiolos, vila onde os tapetes são bordados à mão desde a Idade Média, situada no Alentejo, uma das regiões menos povoadas da Europa Ocidental. WIRELESS quer criar uma rede de artistas sem fios, fronteiras e barreiras culturais. Nesta primeira edição a WIRELESS convidou 21 artistas a participarem nas residências em 2022 e a integrarem uma exposição itinerante coletiva em 2023.

Arco Madrid 2023 - Quadrado Azul


Durante, 2023


A Galeria Quadrado Azul marcará presença na ARCO Madrid 2023 - International Contemporary Art Fair, que decorrerá entre 22 e 26 de fevereiro na Feria de Madrid. A Quadrado Azul pode ser visitada no stand 9D05 onde apresentará obras dos artistas Hugo Canoilas, Luísa Jacinto, Paulo Nozolino, Francisco Tropa e Pedro Tropa.

QAXXXV p.2


da série Flora, 2011


A Galeria Quadrado Azul inaugura no dia 19 de janeiro, às 22h, a 2ª parte da exposição comemorativa do encerramento do ciclo dos 35 ANOS da galeria, no espaço em Lisboa. Este epílogo divide-se em 2 partes: p.1 no Porto e agora em Lisboa, p.2.   

   
Com curadoria de Miguel von Hafe Pérez esta mostra conta com obras do início do percurso artístico de Ana Santos, Arlindo Silva, Hugo Canoilas, Isabel Carvalho, Isabel Ribeiro, Luísa Jacinto, Musa paradisiaca, Pedro Tropa, Renato Ferrão e Rigo 23.
   
A exposição estará patente até 18 de Março.


Galeria Quadrado Azul, Lisboa

Rua Reinaldo Ferreira, 20-A
1700-323 Lisboa, Portugal

    
telm +351 91 026 88 62
email lisboa@quadradoazul.pt
horário 14–19h (terça a sabádo)

Pintura sem fim

Driving, 2014

óleo sobre tela, 80 x 100 cm


Exposição colectiva, Brotéria, Lisboa 


Pintura sem fim quer celebrar um encontro de distintas práticas desta disciplina artística. Reúnem-se obras de pintura executadas sobre a tela, o seu suporte pictórico tradicional. Desde o século XV, com o desenvolvimento da pintura móvel, a tela traduz uma materialidade única enquanto elemento de grande condensação e propagação de cultura.
Revisitando, ironicamente, os modos expositivos típicos do Salon de peinture et de sculpture  da Paris do final do século XVII, provoca-se um encontro da pintura, enquanto elemento irrevogável e infinito, nos tempos e nas geografias das artes visuais. Pintura sem fim traz à superfície, na formulação de Jackson Pollock, as "energias, movimentos e outras formas interiores" da pintura de hoje, entre uma seleção de elementos exemplares das mais diversas variedades e proveniências.


Artistas:
Alexandre Camarao, Ana Jotta, Ana Maria, Ana Mata, André Almeida e Sousa , Ângelo de Sousa, António Olaio, Arlindo Silva, Diogo Bolota, Diogo Guerra Pinto, Eduarda Lapa, Eduardo Batarda, Eugénia Mussa, Emerenciano, Fala Mariam, Filipa Tojal, Francisca Carvalho, Gabriel Abrantes, Gabriela Machado, Gonçalo Pena, Gonçalo Preto, Gonzalez Bravo, Gustavo Costa Fernandes, Hermes, Heron P. Nogueira, Horácio Frutuoso, Hugo Bernardo, Isadora Almeida, João Francisco, João Jacinto, João Maria Pacheco, Jörg Immendorff, Jorge Queiroz, Ludgero Almeida, Luís Rocha, Luís Silveirinha, Luísa Jacinto, Manuel Tainha, Manoela Medeiros, Maria Condado, Mariana Barrote, Mariana Gomes, Mariana Malheiro, Marta Soares, Matias Romano Aleman, Nadir Afonso, Nikias Skapinakis, Osias André Moiane, Pedro Batista, Pedro Casqueiro, Pedro Liñares, Pedro O Novo, Pedro Vaz, Paula Rego, Priscila Rooxo, René Bertholo, Ricardo Marcelino, Rodrigo Queirós, Rodrigo Rosa, Rui Calçada Bastos, Rui Castanho, Sara & André, Sara Mealha
Sérgio Fernandes, Simão da Veiga, Sofia Mascate, Stefanie Pullin, Susanne S. D. Themlitz, Vasco Cunha Monteiro e Xavier Ovídio.


19 jan — 15 fev - 10h às 18h


Inauguração 
Qui 19 jan
18h30 às 20h30


Visitas guiadas
8 fev às 18h


Brotéria

Morada
R. São Pedro de Alcântara 3
1250–237 Lisboa, Portugal
Horário
Segunda a Sábado, 10h—18h
Entrada Gratuita




I like your work, can I poke your brain?


Exposição colectiva | Nov 8 - 11 2022

Inauguração terça 8 de Novembro | 6:00-8:00pm
*Obras expostas até 11 de  Novembro, 10:00am-6:00pm

Residency Unlimited
360 Court Street (main green church doors), Brooklyn NY 11231 (map)


Exposição e conversa aberta entre três artistas residentes na Residency Unlimited: Sara Bichão, Mónika Drozynska e Luísa Jacinto. Este será um diálogo moderado pela performer Trendy Trinket, sobre as suas práticas artísticas. Curiosidade, intencionalidade e brincar serão palavras chave para este encontro. All are welcome!

Residência artística na Residency Unlimited NYC 2022

O Atelier-Museu Júlio Pomar tem o prazer de anunciar que a artista portuguesa Luísa Jacinto é a vencedora da 6ª edição da parceria entre o Atelier-Museu e a RU - Residency Unlimited. A artista irá ter uma residência artística de 3 meses na Residency Unlimited, em Nova Iorque, entre setembro e novembro de 2022.O júri independente e de reconhecido mérito deste ano foi composto por Inês Grosso, Luísa Santos, Sérgio Fazenda Rodrigues e Sara Antónia Matos, em representação do Atelier-Museu. 




No One Knows - lançamento do livro


Este é o primeiro livro editado pela AiR 351, dedicado ao trabalho recente da sua primeira artista em residência local, Luísa Jacinto.


Esta publicação foi possível graças à intensa experiência de troca durante a residência e após esse período, à visão de Ana Luísa Bouza, à colaboração com a stolen books, à parceria com a Artworks, ao apoio da Direcção Geral das Artes e ao envolvimento da Galeria Quadrado Azul. Agradecemos muito aos autores dos textos e ensaios: João Pinharanda, Miguel Mesquita, Marta Mestre e Lauren Moya Ford.


O lançamento do livro é a 13 de Maio, às 19h, na Brotéria, que generosamente recebe este evento, que conta com uma conversa informal entre Luiza Teixeira de Freitas e a artista Luísa Jacinto. 


A ideia de voltar


Exposição individual 


Galeria Quadrado Azul, Lisboa

Rua Reinaldo Ferreira, 20-A
1700-323 Lisboa, Portugal
tel +351 21 347 62 80
    
T +351 91 026 88 62
Email lisboa@quadradoazul.pt
Horário 
13–18h (terça a sexta-feira) 
14-19h (sábado) e por marcação

É o cenário que se move


Desafiada pela Brotéria a escolher algum artista com quem trabalhar e expor, Luísa Jacinto convida Isa Melsheimer. As duas artistas encontram-se em Lisboa, em contexto de residência artística, para em comum explorarem as correspondências existentes nos seus percursos. 


Visitas guiadas
[em inglês]
20 maio às 19h
Com as artistas e o coordenador da galeria
8 junho às 19h
Com Luísa Jacinto e o coordenador da galeria


BROTÉRIA
R. São Pedro de Alcântara 3
1250–237 Lisboa, Portugal
Horário
Segunda a Sábado, 10h–18h
Entrada Gratuita


Tisanas, infusões para tempos próximos


Exposição colectiva


Curadoria de Maria do Mar Fazenda


Abertura a 9 de abril de 2022

Centro de Arte e Cultura, Piso 1


Fundação Eugénio de Almeida

Centro de Arte e Cultura

Largo do Conde de Vila Flor
7000-804 Évora
 
Tel: (+351) 266 748 350

HORÁRIO
OUTUBRO - ABRIL
De terça-feira a domingo, 10h00-13h00 / 14h00-18h00

MAIO - SETEMBRO
De terça-feira a domingo, 10h00-13h00 / 14h00-19h00
Entrada livre
 
Com obras de Ana Hatherly, Catarina Botelho, Dayana Lucas, Diogo Bolota, Eugénia Mussa, Flávia Vieira, Francisco Pinheiro, Gonçalo Barreiros, Inês Botelho, Isabel Simões, Luísa Jacinto, Nuno Henrique, Sara Bichão, Sara Chang Yan, Virgínia Mota.


Tisanas: infusões para tempos próximos
As efemérides são momentos propícios para pesar o presente na balança do passado e do futuro. E a arte talvez seja um dos mais eficazes mediadores entre o nosso presente e esse equilíbrio ponderado. No contexto das celebrações dos sessenta anos de vida da Fundação Eugénio de Almeida e dos dez anos sobre a abertura do Centro de Arte e Cultura, apresenta-se uma exposição reunindo um conjunto de obras de quinze artistas que se perfilam enquanto reações ao nosso presente com um desejo de futuro no horizonte. 
A exposição toma como ponto de partida os poemas em prosa ou as anti-fábulas a que Ana Hatherly deu o título de Tisanas “porque considero que são infusões e não efusões”. Talvez seja esta ideia de lastro o fio condutor que liga práticas tão diversas entre si, mas que se entrelaçam na fluidez com que trabalham um devir. Recorrendo ao gesto e à sua inscrição; aos signos e aos seus significados cambiantes; ao percurso e ao texto; ao jogo e ao desejo; ao paradoxo e ao humor; ao cheio e ao vazio; à sombra e ao recorte; à memória e ao esquecimento; às materialidades do traço, da escrita e da invenção. 
Uma das descrições do trabalho artístico proposta por Hatherly é a de os artistas serem incansáveis calculadores de improbabilidades. É a convocação de diversas dimensões no texto — e no espaço aberto pelo ato de leitura — que se procura agora pôr em paralelo às obras de arte que, como as Tisanas, também elas questionam, hesitam, partilham, desarmam, oferecem um enigma a quem as interpela. Neste sentido, a exposição constrói uma comunidade temporária e aberta a quem se queira deixar marcar pela sua participação nela. Ao longo do percurso expositivo exploram-se territórios outros e as suas margens, difundem-se fronteiras e assinalam-se desvios, descrevem-se paisagens e indicam-se os seus avessos, são partilhadas vivências e suspensos os ciclos naturais, ensaiadas práticas da dúvida e dissolvidas economias. Os modos de fazer diferem, mas todos têm o fim comum de extrair os princípios ativos de um acontecimento.

Maria do Mar Fazenda


La mañana no será diferente de la noche



Exposição individual A manhã não vai ser diferente da noite

texto que acompanha a exposição por Maria do Mar Fazenda


Galería Silvestre, Madrid, Espanha

Inauguração a 5 de Fevereiro, 2022


Doctor Fourquet 21.28012 Madrid, Espanha
T. (+34) 686 463 809 / (+34) 910 594 112

galeria@galeriasilvestre.com

Terça a Sexta-feira

das 10:30 às 14:30 e das 18:30 às 19:30 pm

Sábado das 11:00 às 14:30



Pintura: campo de observação


Exposição colectiva, curadoria de João Pinharanda

Cristina Guerra Contemporary Art


Ana Cardoso, Ana Manso, António Neves Nobre, Beatriz Coelho, Luísa Jacinto, Mariana Gomes, Marta Soares, Rita Ferreira, Rui Horta Pereira, Rui Neiva, Sérgio Fernandes


Segunda a Sexta-feira, 11 am - 7 pm
Sábados temporiamente encerrado

18 Junho - 3 Setembro 2021


Rua Santo António à Estrela, 33
1350-291 Lisboa I Portugal
T +[351] 213 959 559


Download Press Release


Vista da exposição, obras de Luísa Jacinto

© Cristina Guerra Contemporary Art / Fotógrafo: Vasco Stocker Vilhena


Oscillation Isolation


Exposição colectiva, Outono Projects


Amelian Kashiro Hamilton, Emmanuel Louisnord Desir, Francisca Carvalho, Luísa Jacinto, Martin Alexander Spratlen Etem, Susana Amaral e Taiwo Adebayo


Inauguração 4 de Junho 2021

71 W 128th St, Unit C, New York, USA
info: outonoprojects@gmail.com